17.11.05

Compaixão

Em todas as línguas derivadas do latim, a palavra compaixão forma-se com o prefixo «com» e a raiz «passio» que, na sua origem, significa sofrimento. Noutras línguas, como , por exemplo, em checo, em polaco, em alemão, em sueco, a palavra traduz-se por um substantivo formado por um prefixo equivalente seguido da palavra «sentimento» (em checo: sou-cit; em polaco: wspol-czucie; em alemão: Mit-gefühl; em sueco: méd-känsla).
Nas línguas derivadas do latim, a palavra compaixão significa que ninguém pode ficar indiferente ao sofrimento de outrem; ou, de outra maneira: sente-se sempre simpatia por quem sofre. Outra palavra que tem mais ou menos o mesmo sentido, e que é piedade (em inglês pity, em italiano pietà, etc.) chega até a sugerir uma espécie de indulgência para com o ser que sofre. Ter piedade de uma mulher é sermos mais favorecidos do que ela, é inclinarmo-nos, baixarmo-nos até ela.
Por isso é que a palavra compaixão inspira geralmente uma certa desconfiança; designa um sentimento considerado como de segunda ordem e que não tem grande coisa a ver com o amor. Amar alguém por compaixão é de facto não amar essa pessoa.
Nas línguas em que a palavra compaixão não se forma com a raiz «passio=sofrimento» mas com o substantivo «sentimento», a palavra é empregue mais ou menos no mesmo sentido, mas dificilmente se pode dizer que designa um sentimento mau ou medíocre. A força secreta da sua etimologia banha a palavra de uma outra luz e dá-lhe um sentido mais lato: ter compaixão (co-sentimento) é poder viver com o outro não só a sua infelicidade mas sentir também todos os seus outros sentimentos: alegria, angústia, felicidade, dor.
Esta compaixão (no sentido de soucit, wspolczucie, Mitgefühl, médkänsla) designa, portanto, a mais alta capacidade de imaginação afectiva, ou seja, a arte da telepatia das emoções. Na hierarquia dos sentimentos, é o sentimento supremo.
(...)
Milan Kundera in A Insustentável Leveza do Ser (1ª parte – cap.9)

3 Posfácios:

Blogger Rafael M. Silva escreveu...

Ora aí está. Acho que a etimologia pode realmente exclarecer muita coisa.

17/11/05 12:03  
Blogger Saraï escreveu...

...pois.

17/11/05 12:21  
Anonymous Anónimo escreveu...

Estava buscando na net a etimologia de compaixão e encontrei significados muito interessantes: diferentemente da pena ou empatia, que são sentimentos passivos, a compaixão designa a vontade ativa de minorar o sofrimento alheio. É o envolvimento com o sofrimento do outro (seja ele qual for) com a intenção de eliminá-lo. O sofrimento, não o outro!

Luciana

27/7/13 15:07  

Enviar um comentário

<< Home