3.1.09

Amante vs Bolsa


Porque se submetem os homens mais facilmente ao jugo das estrelas do que ao jugo da razão? Porque não há quem queira libertar-se do tremendo fardo de ter de fazer escolhas, das mais simples e comezinhas às mais complexas e ponderosas.
Tome-se um singelo exemplo. Como deverá proceder quem se veja confrontado com a alternativa de comprar um colar de pérolas para uma amante ou de investir essa mesma quantia em acções de uma respeitada firma petrolífera? Quem se reja pela razão passará em claro noites intermináveis, sopesando as vantagens e as desvantagens de uma e outra opção, consultando os registos históricos das cotações no mercado do crude, estrapolando o crescimento económico das potências asiáticas, ponderando a instabilidade no Médio Oriente, lutando por obter uma equivalência entre dividentos bolsistas e quantidade de prazer adicional facultado por uma amante satisfeita. Bem vistas as coisas, não irão os eventuais dividentos de uma e outra opção dissipar-se no tormento da escolha!
Quantos não sentiram vacilar a sanidade perante a estrénua prova de incessantemente escolher entre múltiplos caminhos?

José Carlos Fernandes in O que está escrito nas estrelas [Anos I & II]

1 Posfácios:

Anonymous j_m_ferreira@sapo.pt escreveu...

Como sempre, demasiadamente profundos e sérios, os textos escolhidos.
É bom que assim seja...
Raramente, mas mesmo muito bons!
JM Ferreira

4/1/09 17:16  

Enviar um comentário

<< Home